Três homens são presos suspeitos de caçar animais silvestres em Espinosa

0

A Polícia Militar de Meio Ambiente prendeu três homens suspeitos de serem caçadores de animais silvestres, na MGC-122, em Espinosa, neste sábado (29).

Os policiais militares chegaram até eles depois de receberem denúncias anônimas. As informações apontavam que uma das artimanhas utilizadas pelos homens era portar somente as carabinas de pressão, deixando os materiais de caça em lugar estratégico, de modo a impedir a configuração do crime ambiental e, consequentemente, dificultar a atuação policial.

Segundo a PM, um dos autores, de 35 anos, tentou escapar da abordagem policial e entrar em uma propriedade localizada às margens da rodovia. Com ele, foi apreendida uma faca, uma rede camuflada, uma caixa de som, duas embalagens com chumbos e uma carabina de pressão.

Já na mochila do suspeito de 37, os policiais encontraram penas de aves e vestígios de sangue. Além disso, apreenderam uma faca, um facão, um canivete, duas redes camufladas, três embalagens com chumbos, uma camisa de manga longa para camuflagem, um conjunto para camuflagem (boné e camisa com estampa de folhagem), uma mochila para hidratação e, por fim, uma carabina de pressão.

O terceiro suspeito, de 34 anos, tentou esconder a arma de pressão e os pertences de um dos colegas atrás de uma antiga guarita abandonada, mas os materiais foram localizados. Ele carregava uma faca, dois fações e um gancho para, possivelmente, pendurar animais abatidos.

O trio negou prática de caça, porém, para a Polícia Militar de Meio Ambiente ficou clara a intenção de “matar, perseguir, caçar, apanhar e/ou utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida”.

Eles foram liberados e, posteriormente, deverão se apresentar à Justiça. Como medida administrativa, cada um deles assinou auto de infração, no valor de R$ 6.310,40.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui